FETICHE

Da cor do pecado

por Vicente Montanha

Pele quente, da cor do chocolate, desejo e tentação. Muitos homens sonham com uma parceira negra ao seu lado. Histórias sobre esse fetiche todo especial, o leitor vai encontrar a seguir.


Brancos, amarelos, vermelhos e negros: todos fazem sexo, todos são seres humanos. Ao ler esta matéria, o leitor não pode se deixar levar pelo preconceito imposto pela sociedade há muito tempo: não há nenhum tipo de racismo em dizer que existem homens apaixonados por negras, assim como existem mulheres que preferem os machos de pele escura. Racismo é pensar o contrário.

São muito comuns os casos de loiras estonteantes ao lado de homens negros, talvez pelo mito de que os machos com essa cor de pele tenham um membro muito maior. Mais raros são os casos de brancos apaixonados por negras, mas eles existem, em maior número do que se pensa.

Amor em todas as cores

O publicitário Michel Oliveira, 25 anos, descendente de italianos com portugueses, namora há dois Jussara Bastos, 23, descendente de antigos escravos africanos que vieram para o Brasil. Os dois se conheceram em uma festa na casa de amigos em comum e passaram a conversar.

Depois de algumas semanas saindo juntos, sempre acompanhados de outros colegas, Michel beijou Jussara pela primeira vez – e foi também a primeira vez que o publicitário encostou seus lábios nos de uma negra. “Nunca fui nem um pouco preconceituoso. Tive uma criação muito correta, e meu pai e a minha mãe também não são racistas. A Jussara foi a única negra com quem tive um relacionamento até hoje, não pela cor da sua pele, mas pelo que tem dentro dela. Ela é uma mulher fantástica”, afirma o orgulhoso Michel.

Em contrapartida, Jussara teve casos com homens brancos e negros, mas sempre os que duravam mais eram com os que tinham a pele mais parecida com a sua. Jussara acredita que, mesmo o Brasil sendo um país com uma diversidade racial gigantesca, o preconceito ainda aflora na sociedade. “Isso nunca aconteceu comigo quando estou com o Michel, mas às vezes as pessoas olham de uma maneira diferente quando se está de mão dada ou beijando um homem branco”, afirma a bela moça.

No Brasil, como em muitos outros países, os negros vieram da África trabalhar como escravos nas grandes fazendas, sofrendo horrores que jamais serão reparados. No dia 13 de maio de 1888, foi assinada a Lei Áurea pela Princesa Isabel, garantindo a abolição da escravatura e a liberdade dos negros.

De lá para cá, já se passaram mais de 120 anos, mas muita coisa que devia ter mudado ainda não mudou. Ainda hoje, é comum ouvirmos casos de racismo e preconceito, como ocorre tantas vezes, infelizmente, no futebol europeu.

Agora, já voltando para o mundo do amor inter-racial, uma questão que não poderia ficar sem resposta é: existe diferença no sexo com uma negra? “O amor com a minha neguinha [NR: como ele carinhosamente chama sua namorada] é fantástico! Ela é a única negra com quem já tive relação sexual, não sei explicar se é tão bom porque sou realmente apaixonado por ela [...], mas a verdade é que a Jussara é muito quente!”, diz Michel.

O preconceito mora ao lado

Da parte da família dele, nunca houve nenhum tipo de preconceito contra Jussara. De acordo com ela, os pais do publicitário sempre a trataram muito bem, são pessoas ótimas e nunca fizeram nenhum tipo de intervenção pelo fato da namorada do filho ser negra.

Já os pais de Jussara... “No começo, eles não gostaram muito da idéia do namoro com o Michel. Temiam que eu sofresse muito, afinal, não conheciam o caráter dele e imaginavam que ele não estivesse realmente interessado por mim. Essa desconfiança passou rápido. O Michel quis conhecer o meu pai, e os dois conversaram muito. Hoje, eles se entendem bem”, afirma Jussara, aliviada.

Essa incerteza do pai da jovem é apenas o reflexo de que, na relação entre brancos e negros, muita coisa tem de mudar. O preconceito ainda existe, dos dois lados, e chega a contagiar até mesmo os filmes pornôs.

Deusas de ébano do pornô

São poucas as negras que fazem estrondoso sucesso no gênero. Uma referência é a musa Diana DeVoe. Deliciosa, ela já arrebentou em dezenas de produções internacionais.

No entanto, mesmo aqui, no Brasil, não são muitas as atrizes negras. Mila Morena foi um dos expoentes. Com toda a beleza da raça negra, essa mulata de olhos verdes encantava e ainda encanta qualquer um que assista a um filme seu.


Fotos: Reprodução/Divulgação