ARTIGO

Guia prático do sexo anal

Que cuidados tomar para tornar essa prática ainda mais gostosa

 

Não tem jeito. A maioria dos homens tem a fantasia de introduzir o pênis no ânus da parceira, o que geralmente não acontece só porque ela não deixa.

Dessa forma, conseguir que uma mulher "libere" passou a ser um troféu, e criou-se a noção de que o ânus dá muito mais prazer, por ser mais apertado, porque o proibido é mais gostoso, etc.

Bom, o sexo anal pode ser muito prazeroso, mas há "regrinhas" que devem ser seguidas se não quisermos ter uma experiência traumática – e se engana quem pensa que só a mulher está sujeita a traumas. Quer um exemplo? Imagine você penetrando um cuzinho e tirando seu pau lá de dentro todo sujo. Viu? Então, dê uma olhada nesse guia básico e o apresente à sua gata.

PARA ELA

A parte passiva da relação anal – a mulher, no caso – é de fato a mais difícil de fazer. Vamos ver passo a passo como a mulher deve agir pra se dar bem e liberar mais vezes depois.

Antes

A gente não quer só comida – a preparação deve começar na alimentação. A mulher deve se preocupar em fazer refeições leves, saudáveis e não comer exageradamente. Você até pode usar isso como argumento, pois, além de ser penetrada, ela pode manter a boa forma.

Não há muito segredo aqui. Basta não exagerar nos pratos, desprezar feijoada e similares e comer alimentos fáceis de digerir e que estimulem o funcionamento intestinal.

Uma dica é incluir alimentos fibrosos na dieta, que têm exatamente essa qualidade. Aí vão alguns deles: verduras e legumes, especialmente crus (acelga, couve, brócolis, espinafre, etc.); leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico, etc.); cereais integrais (aveia, granola, massas integrais); frutas com bagaço e farelo de trigo.

Chuá-chuá

Se as evacuações da mulher foram boas, ela não vai ao banheiro há um certo tempo e está sem vontade, é provável que apenas uma higiene básica seja necessária, ou seja, lavar o cu com água e sabonete no banho.

Entretanto, muitas vezes é preciso fazer a "chuca", uma lavagem interna para eliminar os dejetos. Funciona assim: primeiro, usa-se o vaso sanitário, para tirar o máximo possível dali. Depois, no banho, lava-se bem o cu com água e sabonete. Então, introduz-se "só a cabecinha" de uma ducha ou mangueira de chuveirinho. A mulher deve ser cuidadosa e relaxar, pra não se machucar.

Deixa-se encher de água, de preferência morna, sem exageros. Depois que sentir a barriga inchando um pouquinho, a mulher deve segurar por uns momentos, correr para o vaso e despejar o produto da operação até a última gota. O processo deve ser repetido até que se verifique que está tudo limpo e cristalino. Em seguida, lava-se de novo o cuzinho com água e sabonete – e o chuveirinho, claro.

Pêlos, por que tê-los

Se a mulher tiver pelinhos indesejáveis em volta do ânus, deve eliminá-los, assim como faz quando vai à praia. Além de ficar mais bonita, a ausência de pêlos facilita a penetração, pela diminuição do atrito. Arrematar com creme hidratante é uma boa pedida.

Durante

Sessão ioga – durante a penetração anal, o papel da mulher é basicamente ficar relaxada, para que as contrações do cu não tornem tudo doloroso.

Forçar um pouco para fora pode ajudar – e ajuda muito o estado psicológico e sexual: se ela estiver muito excitada, confiar no parceiro e não tiver medo de ser feliz, tudo fica mais simples e gostoso.

Camisinha é imprescindível e algumas posições são melhores para iniciantes, mas isso está na parte masculina desse texto. Ah, sim, a mulher pode piscar o cuzinho durante a penetração, o que dá um prazer enorme para o parceiro!

Depois

Nada de souvenires – depois que o homem gozou, mais relaxamento, para que o ânus não segure a camisinha. Claro que depois é só tirar, mas isso pode quebrar o clima. Forçar pra fora ajuda de novo.

PARA ELE

A parte ativa ou masculina tem um papel especial no durante. Confira!

Antes

O de sempre, por favor – faça a higiene íntima e costumeira (que pode incluir uma aparada nos pêlos pubianos). Nenhuma mulher quer dar para um pau malcheiroso. Pense nisso.

Durante

Parceria na cama – carinho é a palavra-chave. Nada de pôr tudo de uma vez, certo? Vá devagar, respeitando o ritmo dela. Se ela pedir pra tirar, tire e volte a colocar aos poucos. Se ela desistir, não force a barra e deixe pra próxima. Use camisinha e um lubrificante à base de água. Três marcas bem conhecidas são o KY, o PreservGel e o Gel Semina.

O homem pode, ao longo da transa, ir estimulando o cuzinho dela com as mãos, os dedos e saliva. Penetrar um ou dois dedos (sempre devagar) e ir brincando com ele ajuda a "alargá-lo" um pouco, facilitando a penetração posterior. Além disso, o ânus é uma zona erógena!

Fazer sexo oral lá (a famosa "cunete") é também uma boa pedida, mas as cartilhas do sexo seguro recomendam o uso de um filme plástico entre a boca e o ânus. Outra dica é estimular o clitóris, os seios e outras partes do corpo e dar muitos beijos e lambidas na gata...

Kama Sutra – se sua gata é iniciante, nada de exigir acrobacias dela. As melhores posições, nesse caso, são: deitada de bruços, com o homem vindo por cima; a mulher sentando por cima, que, assim, pode controlar a velocidade da penetração; de ladinho, que também dói menos. Só recorra a outras posições depois que ela já for mais experiente.

Depois

Troque de roupa – retire o pau cuidadosamente, segurando a camisinha pela base e livre-se dela. Dê um tempo para sua gata se recompor e, se ela ainda não tiver gozado, faça-a gozar. Seja carinhoso com ela. Ah, e importante: nunca faça sexo anal e vaginal alternadamente, com a mesma camisinha. Tente deixar o sexo anal para o fim e sempre troque a camisinha quando trocar de buraco.

 

Pronto. Agora que você já sabe, é só curtir a transa bem gostoso. Faça bem feito e até a próxima!

 


Publicado em 22/05/2012.