Férias inesquecíveis de verdade

por Luciano Rodrigues

Para alguns, é o paraíso na Terra. Outros o definem como “o melhor resort do mundo”. Certo mesmo é que os que têm o prazer de conhecer os hotéis da rede Hedonism usufruem de uma experiência inesquecível...


 

O dicionário Aurélio define hedonismo como “doutrina que considera que o prazer individual e imediato é o único bem possível, princípio e fim da vida moral”. Pois bem.O resort segue à risca essa determinação.

São duas unidades – Hedonism II e III –, ambas localizadas na paradisíaca Jamaica. Sob o sol dos trópicos, os hóspedes – homens e mulheres de todas as cores –, circulam livres, sem o peso das peças de roupa. A cada ano, o local é invadido por milhares de turistas de todo o mundo, atrás de belos corpos e mesmo sexo de todos os tipos, sem compromisso.

 

Tudo é festa
Desde a chegada à portaria, a atmosfera do local conspira para deixar todos à vontade: calor, pessoas bonitas e ambientes que estimulam a convivência e troca de experiências, como as duas piscinas gigantes, em que só é permitida a entrada de banhistas nus! Isso mesmo. Só entra na piscina quem está pelado. Os hóspedes que já estão habituados com o sistema ajudam a entrosar os “calouros”, apresentando pessoas e incentivando as brincadeiras.

Se isso ainda não for suficiente, a direção do hotel organiza, todos os dias, festas pra lá de quentes. Há, por exemplo, a “Festa do Pijama”, que começa mais ou menos à meia-noite. Alguns hóspedes surgem com pijamas, como sugere o nome da festa, mas outros, mais desinibidos, vêm pra brincadeira completamente nus.

Aos poucos, todos se soltam, envolvidos pela atmosfera sensual e pelas bebidas – e começa o chamado “trenzinho da alegria”. Um atrás do outro, homens e mulheres, todos misturados, todos nus. É comum ver casais (ou trios, ou mais que isso) transando dentro das piscinas aquecidas, enquanto outros apenas conversam e apreciam seus drinques...

Em outra brincadeira, mulheres nuas são envolvidas e lambuzadas em chocolate, e os rapazes devem limpar as moças – com a boca e a língua, é claro. Os que participam vão à loucura, mas, mesmo para quem está só assistindo, é praticamente impossível não perder o controle. Em poucos minutos, estão todos dentro da piscina novamente.

 

Regras e experiências
As regras são poucas. Menores de 18 anos, obviamente, não são permitidos. Outras restrições são o uso de drogas e a falta de respeito com o próximo. A partir daí, desde que todos os envolvidos concordem, vale tudo.

Recentemente, os brasileiros descobriram os hotéis Hedonism, e é cada vez mais comum vermos turmas de amigos partirem para a Jamaica em busca de despedidas de solteiro exclusivas.

O administrador de empresas Raul (nome fictício) foi um deles: “Minha mulher não sabe de nada. Para ela, eu reuni meia dúzia de amigos e fui pescar no Pantanal. Ela jamais me deixaria ir para um lugar como aquele”.

Raul nos contou um pouco de sua experiência no resort: “Logo na chegada, já dá pra perceber que há algo de diferente por ali. Há muitas mulheres bonitas, a maioria delas acima de 30 anos, daquele tipo que já casou, descasou, tem a vida feita e só quer diversão – e elas dão em cima mesmo, sem a menor vergonha”.

“Chegamos, eu e um colega, jogamos as malas no quarto e descemos para a piscina. Em poucos minutos, já estávamos em um papo animado com duas mexicanas. Tomamos um ou dois drinques, e elas sugeriram que fôssemos para o quarto delas continuar a conversa, ou seja, em menos de duas horas no hotel já estávamos transando. Eu comia a mulher dele, ele comia a minha. Às vezes, comíamos juntos. Outras vezes, eram as duas com um só. Coisa de louco! Saímos do quarto já era noite”, conta, rindo, o administrador.

Já o analista de sistemas José Olívio Beluzzo resolveu ir com a esposa: “Nós sempre freqüentamos casas de swing em São Paulo. Ouvimos falar do hotel e fomos. Ficamos dez dias por lá, e não teve um único dia ruim. É sempre festa o tempo todo, e as festas são de arromba. Devo ter transado com umas 15 mulheres diferentes. Minha esposa deve ter transado com uns 15 homens também. Chegamos a fazer uma festa enorme no quarto, com três homens e sete mulheres”.

Beluzzo conta que, muitas vezes, os amigos não acreditam nas histórias que ele conta sobre o Hedonism. “O pessoal acha que é mentira, mas não tem nada de mais. O hotel inteiro é feito pra isso. As pessoas que vão pra lá querem transar, querem fazer sexo de todos os jeitos, toda hora. Eu acho que é impossível alguém ir pra lá e não transar com uma mulher diferente por noite. Só se não quiser mesmo”, sentencia.

Fazendo as malas
Como qualquer hotel que cobre diárias em dólar, os preços são salgados para os padrões brasileiros – mas não são absurdos. Sete noites nesse paraíso custam cerca de US$ 2 mil.

Além disso, o hotel funciona no sistema all-inclusive: o valor inclui hospedagem em quarto com ar-condicionado, todas as refeições, entradas nas casas noturnas, livre acesso às dependências esportivas, acesso às duas praias exclusivas (uma nudista e outra não) e transfers.

Ficou interessado? O site oficial (http://www.superclubs.com/brand_hedonism) certamente vai deixá-lo ainda com mais água na boca. Então, programe suas próximas férias e boa viagem!