ARTIGO
 

Coisa de homem

O que você deve saber sobre a próstata e a sua saúde

por João Pedrosa

A próstata é uma glândula que produz um dos líquidos que compõem o sêmen ou esperma. É encontrada exclusivamente no homem, tem o tamanho de uma noz, com aproximadamente 4 cm, e pesa em torno de 20 gramas. Localiza-se abaixo da bexiga, envolvendo a uretra em sua porção inicial. A uretra é uma estrutura em forma de canal, por onde passa a urina e o esperma para o meio externo.

Depois dos 45 anos de idade, a próstata tende a aumentar de volume. Em alguns homens, esse aumento é muito grande e dificulta a micção (ato de urinar), porque, com o crescimento, a glândula pode comprimir o canal uretral.

Homens acima de 40 anos que têm casos de câncer de próstata na família e todos os homens depois dos 50 anos de idade devem, anualmente, fazer exames com um médico urologista, a fim de controlar o crescimento da próstata. Os principais exames são: • Toque retal prostático; • PSA (dosagem do antígeno prostático específico).


Os exames são necessários para que o homem não desenvolva nenhuma das seguintes doenças:

HPB (Hiperplasia Prostática Benigna)

É o crescimento da próstata sem característica cancerosa. Devido ao crescimento, a pessoa tem dificuldade de urinar. Apresenta hesitação no início da micção, jato urinário fraco e interrompido, gotejamento exagerado no final da micção e aumento de idas ao banheiro de dia e à noite.

Em alguns casos, é necessária a cirurgia de próstata, que pode ocasionar a ejaculação retrógrada, ou seja, o esperma passa a cair na bexiga quando ocorre o orgasmo e é eliminado na próxima vez que o homem for urinar. A ejaculação retrógrada não compromete o desejo, nem a ereção peniana.

CaP (Câncer de Próstata)

Em nosso país, o câncer de próstata é o mais frequente em homens depois dos 50 anos de idade. Em termos de mortes, só perde para o câncer de pele. Pode ser assintomático ou manifestar-se de forma semelhante ao HPB – e as duas doenças podem coexistir. Daí, a necessidade do exame periódico.

Os exames de toque retal, de sangue (PSA) e ultrassonografia serão necessários, inclusive para definir, se for o caso, uma possível biópsia para determinar a progressão do câncer e sua malignidade.

O tratamento consiste em cirurgia, radioterapia e hormonioterapia. O médico deverá definir o tratamento dependendo do estado clínico do paciente. Cuide-se e evite futuros problemas que podem comprometer sua saúde sexual. Procure um médico urologista, livre-se dos preconceitos e faça seus exames.


João Batista Pedrosa Psicólogo e terapeuta sexual (CRP 06/31768-3). Trata das disfunções sexuais masculinas e femininas (disfunção erétil, ejaculação rápida, ejaculação retardada, anorgasmia, dispareunia, vaginismo, baixo desejo, etc.). Atende no bairro da Vila Madalena, em São Paulo. Consultas: (11) 3031-2493; site: www.syntony.com.br/pedrosa.

Imagens: Reprodução