50 Tons de Cinza: a paródia pornô

por Valter José

A moda das paródias pornôs não é assim tão nova. Já na década de 90, elas ocupavam lugar de destaque no mercado, nas mãos de diretores como Scotty Fox – mas reapareceram na primeira década desse século nas mãos de grandes diretores, como Will Ryder e Axel Braun em suas versões pornôs de Os Flintstones e Batman.

Agora, o objeto da paródia é o best-seller Cinquenta Tons de Cinza, escrito pela inglesa E. L. James. Livro que, segundo alguns, trouxe para o grande público práticas fetichistas como o sadomasoquismo e o bondage, envoltos em clima pseudolibertino para o consumo das funcionárias de telemarketing e secretárias em geral.

50 tons pornôs

A produtora americana Smash Pictures teve a feliz ideia de lançar essa adaptação, mesmo correndo o risco de ser processada pela autora e seus editores. Briga que os franceses tiveram medo de entrar, já que a versão lançada em Paris tem como subtítulo: C’Est Une Parodie (“É uma paródia”, em português). O diretor é o veteraníssimo Jim Powers, em atividade desde os anos 90, com mais de 20 títulos no currículo.

    

Ryan Driller e Allie Haze em ação

Powers nunca foi famoso por ser um bom diretor e produtor, já que realizava coisas pornôs trash malfeitas, mas a prática e a obrigação de dirigir até dez filmes por mês o fizeram aprender alguma coisa.

Tanto que esse Fifty Shades of Grey: a XXX Adaptation é um trabalho razoável, superior e até mais agradável que o livro.

Mesmo com muitos defeitos de luz e de câmera, o filme agrada pelo elenco: a deliciosa Allie Haze (como Anastasia Steele), a maravilhosa “coroa” Julia Ann (como senhora Robinson), Jaslene Jade (como Leila) e Ryan Driller (como Christian). O elenco dá brilho e sedução às cenas de sexo, principalmente Allie Haze, que é uma delícia.

        

E de novo...

O que esse filme tem de bom é mostrar a verdade do livro, que trata das fantasias femininas de sempre, ou seja, a vontade de serem dominadas por homens ricos e bem-apessoados. No fundo, o livro e o filme são, mais uma vez, a velha piada do príncipe encantado...

Imagens: Reprodução