REPORTAGEM



O perigo mora ao lado

Sabe aquela vizinha deliciosa que vive lhe dando mole, mas você teme trair a patroa logo do lado de casa? Pois é. Tem gente que se arriscou e resolveu compartilhar a experiência...


por Vicente Montanha

Tudo é mais difícil quando a tentação mora logo ao lado. Observar da janela da sala aquela vizinha tesuda andando de calcinha no apartamento dela e dando risadas sensuais é algo por que muitos homens já passaram.

Um pouco de açúcar
Alguns, mais audaciosos, foram em frente e encararam o crime, traindo as esposas, noivas ou namoradas com a vizinha gostosa. Foi o caso do fotógrafo Gabriel (nome fictício), 35 anos, casado há cinco: “Tinha acabado de me casar e me mudei para uma espécie de vila dentro do bairro da Vila Mariana, em São Paulo. Na casa ao lado, uma morena de 19 anos, muito bem-feita de corpo, morava sozinha”.

Segundo Gabriel, a situação foi ficando impossível depois de uns cinco meses. Ruth (nome fictício), a jovem vizinha, passou a ir todos os dias à casa do fotógrafo quando ele estava sozinho, usando trajes sumários e provocantes, como shorts que mostravam a volumosa coxa e decotes ousados: “Eu trabalho na minha casa, e a minha esposa trabalha em um escritório. Toda tarde, quando ela saía, a Ruth vinha e me pedia um pouco de açúcar, ou sal, ou café, sempre me encarando com os olhos, ajeitando os seios apertados em alguma miniblusa e rebolando bastante”.

Gabriel conta que, até se deixar cair em tentação, passou mal de desejo. Mesmo quando estava com a esposa, acabava pensando em Ruth e quase chamou uma pelo nome da outra, afora os sonhos bastante apimentados. “Não sou de ferro. Amo a minha esposa, mas aquela mulher estava me provocando. Pode até ser machismo, mas acho que o homem é poligâmico”, justificou, usando o termo que designa o homem que tem mais de uma mulher.

No dia da “pulada de mu¬ro”, Gabriel, como de costume, estava sozinho revelando algumas fotos no laboratório dentro de casa, quando a campainha tocou. Ruth, mais uma vez, usava o tal decote que matava qualquer um e uma saia pequenina, que não escondia nada.

Com uma xícara na mão, pediu um pouco de açúcar e foi surpreendida por um beijo. Segundo o fotógrafo, o sexo entre os dois foi intenso, na sala de estar dele.

Logo depois, a menina se arrumou e foi embora. “Naquele mesmo dia, fui ver uma outra casa para alugar, em outro bairro. Na noite seguinte, chamei minha esposa e disse que precisávamos mudar. Como ela sempre quis uma casa maior, foi muito fácil convencê-la”, gaba-se.

No entanto, se, no caso desse sujeito, deu tudo certo, o leitor ainda não deve se empolgar. Cada história traz um roteiro diferente, nem todas terminam bem....

“Aquela vadia”
Traição é sempre um assunto particular. Quem traiu não costuma revelar, já que não gostaria de ser descoberto. Quem foi traído sente vergonha e não gosta de falar a respeito.

No entanto, Pedro e Mariana (nomes fictícios), namorados há mais de dez anos, passaram por uma fase bastante delicada na vida a dois – e, hoje, depois de tudo acertado, conseguem falar sobre o assunto.

“Nunca vi aquela vadia com bons olhos!”, dispara Mariana, alterada, ao falar sobre a ex-vizinha de Pedro, um publicitário de 25 anos. De acordo com ela, Beatriz (nome fictício) sempre foi apaixonada por seu namorado – e faria de tudo para ficar com ele!

Os dois nos contam que, há cerca de cinco anos, aconteceu a pior coisa na vida do casal: Pedro traiu Mariana com Beatriz e foi descoberto. O namoro dos dois acabou depois de muita discussão. Eles só reataram depois de um ano, quando o publicitário abandonou a casa dos pais e alugou um apartamento no mesmo prédio de sua namorada.

“Eu sei que errei e assumo”, diz Pedro, “mas, naquele momento, foi difícil me controlar. A Beatriz pode não ter caráter, mas é uma mulher extremamente bonita e fui atacado covardemente. Não pude resistir”.

Vizinha traíra
Na frente de Mariana, que franze a testa e não abre a boca, o publicitário conta passo a passo como foi a traição. Ele diz que tinha acabado de sair do banho e foi se trocar dentro do quarto. Quando abriu a porta, viu Beatriz deitada só de calcinha na cama dele: “Minha primeira reação foi de susto e perguntei como ela tinha conseguido entrar. Ela disse que pulou a janela e já foi me beijando, me seduzindo e me deixando completamente excitado”.

Ora, se a história foi essa, como Mariana ficou sabendo de tudo? Pedro jura de pé junto que não viu, mas Beatriz tirou fotos dos dois transando quando ele não estava olhando. Adivinhe nas mãos de quem elas foram parar? “Certa tarde, chegou um pacote na minha casa. Eu o abri, e eram as tais fotos! Fui logo à casa dele e brigamos feio”, conta Mariana, que diz nunca ter trocado uma palavra com Beatriz: “Jamais vou me rebaixar ao nível dela!”.

Só depois de muita conversa, e com a mudança de casa por parte do publicitário, o casal resolveu fazer as pazes e voltar a namorar. Foram necessários muita tolerância e amor para superar uma dessas tropeçadas.

“Eu amo o Pedro e tenho certeza de que amadurecemos bastante depois disso, e esse caso não vai mais se repetir”, disse Mariana, compactuando com o pronunciamento do namorado, que declarou amor eterno a sua mulher e afirmou jamais cair em tentação novamente...